Para indicar é preciso conhecer. Eu tive o prazer de visitar a cidade de Guadalajara.

Olá amigos! Hoje vou lembrar uma viagem maravilhosa que fiz com a minha filha Karina. Vejam esta matéria publicada para se inspirar. Adorei. beijos Lana Côrtes.

Até bem pouco tempo atrás Guadalajara, a capital do estado de Jalisco, era uma cidade provinciana e pacata, conhecida como berço dos mariachis(músicos mexicanos com seus bigodões e sombreros), do Jarabe Tapatío(dança do chapéu), da figura do charro (cavaleiro ou vaqueiro que se exibem em rodeios) e terra da tequila (aguardente poderosa), até que um surto de desenvolvimento a elevou ao patamar de segunda maior cidade do México. Para reforçar essa boa maré, a cidade que sediou a Copa de 70, agora se prepara orgulhosa para receber os Jogos Pan-americanos que acontecerão em outubro de 2011.

Tocha Pan-americana, na Plaza de la Liberacion. 

PELAS RUAS E PRAÇAS DA CIDADE

À primeira vista, Guadalajara é uma cidade comum. Poucos prédios altos, muitas casas e construções baixas moldam seu perfil. Mas, basta se aproximar do centro histórico pro coração bater mais forte. Relíquias da era colonial fazem das ruas do centro um pequeno museu a céu aberto, com uma sucessão de praças rodeadas por construções de arquitetura interessante e uma quantidade de igrejas que surpreende.

A imponente catedral de Guadalajara.
Igreja San Juan de Dios, também no centro histórico. 

A cidade foi fundada em 1542. Iniciou como próspera região agrícola e local de partida de expedições espanholas. Assim, se tornou tão importante a ponto do líder da independência mexicana, Miguel Hidalgo, estabelecer ali um governo revolucionário. Mas, em menos de um ano ele foi capturado e executado. Esse fato histórico foi retratado pelo artista José Clemente Orozco, em 1937 e pode ser visto no Palácio do Governo.

Mural de José Clemente Orozco.

O Palácio do Governo foi concluído em 1774, em estilo barroco e é atualmente onde funciona a sede do governo de Jalisco. O palácio é adornado por vários murais de Orozco, além do que foi citado acima, ao longo das escadas que levam ao segundo andar. A Plaza de Armas fica em frente ao palácio e tem um coreto interessante onde costumam ser realizados concertos.

Carruagem branca (calandria) na Plaza de Armas, em frente ao Palácio do Governo.
Praticamente ao lado do Palácio do Governo fica a Catedral de Guadalajara. Grandiosa, mistura vários estilos, pois começou a ser construída em 1542 e  só foi concluída 300 anos mais tarde, depois de passar inclusive por dois terremotos que destruíram a fachada e as torres originais. Agora as torres são amarelas, em ladrilhos, bastante inusitadas.
Estudantes atravessam a Plaza de la Liberacion e passam em frente à catedral,
 um dos cartões-postais de Guadalajara.

 

Também na Plaza de la Liberacion fica o belíssimo Teatro Degolladocom suas oito colunas coríntias que sustentam um friso triangular com a imagem de Apolo e nove musas. Esse teatro neoclássico tem 1400 lugares. Não consegui entrar para conhecer seu interior, pois os músicos estavam ensaiando. Dizem que são cinco andares decorados em dourado e vermelho, com lustres imensos e uma cena da Divina Comédia, de Dante, na cúpula. Fiquei curiosa para ver.



A Orquestra Sinfônica de Jalisco e o Ballet Folclórico da Universidade de Guadalajara 
se apresentam no Teatro Degollado. 


Nos fundos do Teatro Degollado fica a exuberante Plaza Fundadores. 
 
Muitas praças formam o centro histórico de Guadalajara. 
 
Plaza Fundadores.

Um dos prédios que mais chama atenção na cidade é o Hospício Cabañas – um orfanato que chegou a   abrigar mais de 3 mil crianças – é onde atualmente funciona a sede do Instituto Cultural Cabañas. Foi fundado em 1805 e é considerado o maior edifício colonial das Américas. Recentemente passou por uma restauração, foi transformado em museu, com local de exposições para mostras permanentes e temporárias. O interior da capela e sua cúpula são decorados com pinturas espetaculares de José Clemente Orozco. Está explicado porque foi declarado, em 1997,Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. 

O Hospício Cabañas tem uma planta bem simétrica, com 23 pátios e duas capelas.


El Hombre de fuego, obra de José Clemente Orozco. 



Em frente ao Hospício Cabañas fica a Plaza Tapatía com suas obras de arte exóticas. 
Para dar uma caminhada e escolher um restaurante para almoçar vá aChapultepec. Essa região se espalha ao longo de uma extensa avenida que já foi residencial e agora divide espaço com cafés, restaurantes, bares e galerias.
Também vale conhecer a Minerva, uma enorme estátua em bronze da deusa grega, símbolo da cidade e os Arcos de Guadalajara.
Arcos de Guadalajara.



CURIOSIDADE


O nome Guadalajara vem de uma palavra de origem árabe “wad-al-hidjara” e significa “rio que corre entre pedras”.


SHOPPINGS

Os maiores são o Plaza Andares e o Plaza Galerias. Tem muitas lojas interessantes nesses locais, inclusive várias grifes de luxo e bons restaurantes.

O ÔNIBUS VERMELHO

Muitas cidades pelo mundo já adotaram os ônibus de dois andares para levar turistas para um passeio pelos principais pontos. Em Guadalajara, que é a segunda maior cidade do México, não poderia ser diferente. Lá está o ônibus vermelho, esperando pelos turistas na Plaza de los Hombres Ilustres. Não gosto muito de ficar presa apenas aos cartões-postais das cidades por onde passo, mas para um primeiro reconhecimento da área é uma boa alternativa. O preço para adultos é de 90 pesos durante a semana e nos finais de semana e feriados sobe para 110. Crianças de 5 a 12 anos pagam 50 e 60 pesos, respectivamente.

O Tapatío Tour circula por quatro trajetos: Guadalajara, Zapopan, Tlaquepaque e Tonalá.
 
O ponto de partida do ônibus turístico é na Plaza de los Hombres Ilustres. 



RESTAURANTES
Há bons restaurantes no Plaza Andares (shopping mais elegante da cidade). Entre eles: El Almacen (que serve boas carnes), P.F. Chang(chinês sofisticado), além de um italiano, um de cozinha japonesa, uma pizzaria e um francês.
De cozinha mexicana, o mais conhecido é o Santo Coyote, mas eu diria que ele é mais “bonito” do que “bom”. Sua decoração é linda. Vale um jantar sabendo que a comida não é lá essas coisas. Telefone: 3616.6978 – http://www.santocoyote.com.mx
Outro de cozinha mexicana com uma comida bem interessante é o El Sacromonte. As receitas são das duas avós do proprietário. Uma delas era mexicana e a outra espanhola. A combinação resulta em pratos saborosos e muito coloridos.
Um restaurante mais elegante é o Cocina 88. Seu forte são os peixes e a carta de vinhos. Fica na Av. Vallarta 1342. Telefone: 3827.5996 – http://www.cocina88.com
Dois restaurantes de cozinha mexicana contemporânea interessantes são oi latina e o anita li. Os dois são de proprietários jovens e audaciosos. Ficam um ao lado do outro, na Av. Inglaterra, o primeiro no número 3128 e o outro no número 3100. A decoração é bem inusitada. Telefones para reserva: i latina – 3647.7774 e anita li 3647.4757 – http://www.ilatina.com
 
COMO CIRCULAR PELA CIDADE
Guadalajara é uma cidade muito espalhada. Difícil andar a pé. Dá para caminhar pelo centro histórico. Mas, é preciso atenção com máquinas fotográficas e bolsas o tempo todo. Taxis são uma boa opção, no entanto, convém ficar de olho no trajeto escolhido pelo motorista e nas tarifas cobradas (que muitas vezes são estipuladas antes da corrida).
PERTO DE GUADALAJARA
Tequila. Pequena cidade rural a noroeste de Guadalajara onde a tequila é produzida. Dá para ir de trem ou de carro e conhecer as plantações de tequila, destilarias e provar quanto aguentar da bebida sem perder a pose.
Laguna de Chapala. Maior lago natural do México. Local de veraneio dos moradores de Guadalajara, cheio de bares e restaurantes.
Tlaquepaque. Essa cidade, que outrora era um reduto da ceramistas, ficou praticamente grudada à Guadalajara. É considerado outro município, mas é quase como um bairro, não há limites entre Tlaquepague e Guadalajara. Vou dedicar um post inteiro a esse lugar que é um encanto, cheio de galerias de arte.
Tonalá. Também é considerado outro município, mas se confunde com a cidade de Guadalajara. É onde fica um grande conglomerado de oficinas de artesanato. O lugar é rústico e feiozinho, mas para quem gosta de arte local é bem interessante. Dá para garimpar boas peças.
Zapopan. Esse é outro município colado a Guadalajara. Conhecido pela famosa Virgem de Zapopan que sai todos as anos em romaria pela cidade para aliviar os males causados pelas catástrofes naturais.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s