Sua Saúde -Pedra na vesícula pode ser assintomática – por Lana Côrtes

dor visicula

  post Lana Côrtes

De acordo com a Organização Mundial de Gastroenterologia, cerca de 10% da população brasileira tem ou ainda desenvolverá pedra na vesícula. A colelitíase acontece, em 70% dos casos, devido à precipitação de colesterol e cálcio no organismo. A segunda maior causa dos cálculos é a precipitação de pigmentos biliares.

Segundo o gastrocirurgião Dr. Marcos Belotto, os recentes hábitos alimentares da população podem provocar a formação das pedras. “Alimentos ricos em gordura saturada e colesterol contribuem para e obesidade e diabetes. Essas doenças aumentam as chances do paciente ter cálculos biliares”, explica.

Além de evitar ingerir grande quantidade de gordura saturada, que pode aumentar os índices do colesterol ruim (LDL), é necessário consumir fibras – presentes em cereais integrais -, frutas e vegetais. É importante, também, manter um peso saudável e, caso seja necessária a perda de peso, que o processo aconteça de maneira gradual. “Emagrecer muito rapidamente pode aumentar as chances de pedra na vesícula”, diz o médico.

Alguns pacientes apresentam sintomas que são alertas para pedras na vesícula: dor na parte superior do abdômen ou nas costas, especialmente após refeições “pesadas”; inchaço abdominal; indigestão; eructação (arrotos); náuseas; vômitos; febre e icterícia (pele amarelada).

O especialista explica que, quando não há sintomas, é possível fazer um acompanhamento da evolução do quadro, podendo não ser necessário retirar a vesícula do paciente. “Apenas 20% a 30% dos casos assintomáticos irão evoluir e apresentar algum tipo de sintoma nos próximos 20 anos”.

Nos casos em que há inflamação da vesícula por conta dos cálculos, é necessário realizar a colecistectomia, que é a retirada da vesícula por meio de cirurgia. Hoje em dia, esse procedimento é feito por vídeo e quatro pequenas incisões. A maioria dos pacientes tem uma vida normal após a retirada da vesícula.

De acordo com o Dr. Belotto, existe um grupo específico que apresenta maiores riscos de desenvolver pedras na vesícula: mulheres, com sobrepeso, na faixa dos 40 anos, férteis e que tenham mais de dois filhos, já que o número de gestações também está relacionado com as chances de desenvolver cálculos na vesícula.

Sugestão de fonte: Dr. Marcos Belotto, gastrocirurgião. Curvex Feminino com você na prevenção Saúde. post Lana Côrtes.

Sempre que sentir algum sintoma procure um médico. beijos, Lana Côrtes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s