Studio em São Paulo traz técnica exclusiva de micropigmentação – com Lana Côrtes

Mayumi sobrancelha           

A esteticista e empresária, Mayumi Moriyama, fez do

embelezamento do olhar seu próprio negócio

Olá amigos. Vendo o trabalho desta profissional, pude observar que ela ama o que faz, por isso o sucesso com sua clinica e estar aqui conosco no Curvex Feminino. 

Há 10 anos a micropigmentação era algo desconhecido pela maioria das mulheres brasileiras. Não foi diferente com a esteticista Mayumi Moriyama, que em 2008 passou por um designer de sobrancelhas em um salão de beleza paulistano e o resultado passou longe do esperado. O que aconteceu foi um infeliz acidente, a cera escorreu sem que a profissional percebesse e estragou totalmente o formato dos pelos. O evento abalou sua autoestima, ela ficou por um ano procurando técnicas para arrumar o estrago feito, entretanto não obteve êxito. Insatisfeita com o que havia de oferta no mercado, buscou cursos qualificação e posteriormente, micropigmentação, tudo para reparar o próprio problema.

A sua necessidade virou uma profissão, em pouco tempo, com o seu talento e dedicação, já estava trabalhando na área de estética com grande sucesso. Atualmente é a proprietária do Studio May Moriyama, e seu principal objetivo é deixar suas clientes mais bonitas e confiantes utilizando procedimentos rápidos, práticos e duradouros.

Localizado em São Paulo, o Studio proporciona um atendimento completo e personalizado, oferecendo micropigmentação, cílios e sobrancelha, além de serviços para homens também. Ao longo de quase uma década de experiência, a empresária passou pelas mais diversas técnicas de embelezamento do olhar e micropigmentação, nacionais e estrangeiras, tendo desenvolvido um método exclusivo. Os resultados obtidos são muito mais interessantes não só em efeito visual, estrutura e naturalidade, mas também em durabilidade e satisfação de quem usou.

Podendo atender até 15 clientes de micropigmentação diariamente em seu espaço. O intuito é firmar a marca como uma das melhores do país, reconhecida pela qualidade, exclusividade e tratamento individualizado. Afinal, todos os procedimentos de micropigmentação possuem o contexto social, pois praticamente todas as pessoas que a procuram possuem um problema ou desconforto grande em relação a sua própria aparência. “Minha missão é conseguir tornar as mulheres mais felizes. A estética é uma das formas de deixar a mulher mais segura e confiante. Durante todos estes anos me tornei amiga e parceira de inúmeras clientes e os feedbacks são incríveis”, afirma May.

Sobre Mayumi Moriyama

É uma profissional da beleza e professora, fundadora do instituto May Moriyama – Embelezamento do Olhar. Depiladora, designer de unhas – especialista em alongamento de unhas, estética corporal, facial e terapias holísticas, micropigmentadora – especialista em estética de sobrancelha e cílios. Formada pelo SENAC, Star Nails, Empório das Unhas, Instituto Fingr’s, Ceatra, Instituto Elo, MagEstética, Fugi Cosméticos.

Tem quase uma década de experiência, passou pelos mais diversos estabelecimentos como o Mooca Plaza Shopping (Up Esmalteria), no salão Nacionalle, no bairro do Morumbi e clínica Nova Care, no Tatuapé. Ela também teve uma clínica de estética com serviços mais amplos, migrando, posteriormente, para a área mais especializada em que atua agora tendo desenvolvido métodos e serviços exclusivos.

Para mais informações:

www.maymoriyama.com.br

Você sabia que o açúcar acelera o envelhecimento da pele? Confira!

5 questões para entender a relação entre açúcar e envelhecimento da pele

Você já está cansado de ouvir falar dos perigos que vêm de fora: sol, poluição, baixas temperaturas… Mas há algo que destrói a pele por dentro: o açúcar. Entenda como ele reage com o colágeno e potencializa o envelhecimento cutâneo

açucar pele
Se a sua alimentação é rica em açúcar e carboidratos, isso se reflete no colesterol, pode provocar Alzheimer (segundo estudos recentes) e também envelhecer a sua pele. “O consumo em demasia de carboidratos e açúcares pode desencadear o processo de glicação, em que as moléculas de glicose se unem às proteínas de elastina e colágeno — substâncias responsáveis pela firmeza da pele. O açúcar faz com que as proteínas se quebrem, o que aumenta o processo de envelhecimento da pele e a flacidez”, afirma a dermatologista Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. Para ficar tudo bem claro, a dermatologista explica de maneira clara essa relação entre açúcar e envelhecimento cutâneo:

Como e por que a pele envelhece? Elastina e colágeno são substâncias responsáveis pela firmeza da pele. “Elas deixam a pele mais esticada, mais firme. É o que uma pessoa jovem tem em excesso e, a partir dos 25 anos, vamos perdendo. Aliado a isso, essa desestabilização provocada pela glicação destas células, que é a quebra de elastina e colágeno, faz com que a pele perca sua sustentação, como um arcabouço que vai se quebrando. A glicação, portanto, faz com que a pele perca colágeno e elastina, resultando em rugas e flacidez”, explica a médica.

Mas é só isso? Não para por aí: “O processo de glicação age principalmente nas linhas de expressão e flacidez. Mas produz, sim, rugas e pode piorar as manchas pelo processo de oxidação celular”, alerta a médica.

Quando devo me preocupar? “A glicação normalmente existe em todas as pessoas, mas há um processo de excesso de glicação quando a alimentação é hipercalórica e hiperglicêmica. Ou seja, pessoas que ingerem alimentos ricos em açúcares e gordura aceleram o processo de envelhecimento e glicação”, conta.

O que é possível fazer para me proteger? “Os estudos mais recentes mostram que cremes antioxidantes, com ingredientes como a molécula Alistin, fazem com que se combata esses radicais livres e o processo de glicação, portanto ajudando muito a combater o processo de envelhecimento causado pela glicação. Além disso, o que pode frear a glicação é uma dieta bem orientada, restrita, de baixo índice glicêmico e o uso de antioxidantes e antiglicantes por via oral. Então os nutracêuticos como Glycoxil conseguem bloquear a produção de radicais livres e desligam o açúcar excedente do colágeno, ajudando no processo de envelhecimento também”, argumenta.

Como tratar os efeitos? O que há de mais recente para combater a flacidez e rugas é ThermiTight, um procedimento minimamente invasivo conhecido como “radiofrequência injetável”. “A radiofrequência monopolar aplicada internamente promove aquecimento nos tecidos subcutâneos, promovendo estímulo ao novo colágeno, com consequente firmeza e skin tightening”, acrescenta a médica. O procedimento é feito em uma sessão e já está disponível na Clínica Thais Pepe.

Dra Thais Pepe: Dermatologista especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro da Sociedade de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Diretora técnica da clínica Thais Pepe, tem publicações em revistas científicas e livros, além de ser palestrante nos principais Congressos de Dermatologia.

Alergia alimentar pode ser tratada com imunoterapia

Já pensou você saber que não pode comer certos alimentos? O tomate, O leite,  OU MESMO O AÇÚCAR, entre outros, Seria um terror, não é mesmo? Saiba que você pode ter uma saída muito boa.  beijos da Lana Côrtes

Muito eficiente para tratar alergias ao pólen, ácaros e asma, o tratamento de imunoterapia, também conhecida como vacina de alergia, vem sendo indicada recentemente também para pacientes com alergia alimentar, cuja sensibilização não seja transitória.

A eficácia do tratamento com imunoterapia depende de vários fatores: qual sensibilização alérgica está sendo tratada; qualidade do material empregado; qual a doença alérgica; o alérgeno é clinicamente relevante; idade do paciente; gravidade da doença, etc. O índice de eficácia na alergia a venenos, por exemplo, é cerca de 90%. Nas respiratórias varia entre 60% e 80% dos casos e nas alergias alimentares em torno de 30%.

Os avanços desse tratamento estão relacionados aos extratos alergênicos, que ficaram melhores com a padronização da quantidade de alérgenos. Isso os tornou mais potentes e com melhores resultados terapêuticos.

“Os mecanismos de funcionamento da imunoterapia estão sendo desvendados. A contribuição da biologia molecular impulsionou o tratamento com a produção de vacinas de alérgenos mais específicas. Novas vias de administração dos alérgenos como a sublingual, oral, epicutânea, intralinfática buscam reduzir o número de aplicações e facilitar sua introdução no organismo para melhor resposta imunológica”, explica Dr. Nelson Rosário Filho, Coordenador do Departamento Científico de Imunoterapia e Imunobiológicos da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI).

Onde encontrar – As vacinas são produzidas por empresas registradas nas agências regulatórias e distribuídas aos médicos em seus consultórios e clínicas para que então, esses prescrevam aos seus pacientes. Como todo o procedimento médico, o melhor é quando conduzido por especialistas certificados pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

História – A imunoterapia específica para alérgenos por via subcutânea surgiu em 1911 e vem sendo aprimorada ao longo dos anos. No início, foi idealizada para tratar alergia ao pólen, mas depois também para alergia ao pó de casa, ácaros da poeira, pelos de animais, fungos, veneno de insetos himenópteros e mais recentemente com alimentos. Está indicada para tratamento de asma, rinoconjuntivite alérgica, anafilaxia por insetos, alergia alimentar e a certos medicamentos. 
Sobre a ASBAI

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia existe desde 1946. É uma associação sem finalidade lucrativa, de caráter científico, cujo objetivo é promover o estudo, a discussão e a divulgação de questões relacionadas à Alergologia e à Imunologia Clínica, além da concessão de Título de Especialista em Alergia Clínica e Imunologia a seus sócios, de acordo com convênio celebrado com a Associação Médica Brasileira. Atualmente, a ASBAI tem representações regionais em 21 estados brasileiros.

Serviço
Twitter: @asbai_alergia
Facebook: Asbai Alergia
www.asbai.org.br

 

 

 

 

Nem pense que será fácil ver a sua musa Rita Lee. com Lana Côrtes

rita e bial

Foto do G1

Você gosta da Rita Lee como eu? Pode até comprar o livro dela que será lançado em São Paulo, – Dropz, reúne 61 contos e ilustrações da rockeira, mas participar da noite de autógrafos, será quase que impossível. vejam as regras para participar e me conte se vai encarar.

Comento que o que pude saber sobre o livro, ele é sensacional, verdadeiro e irreverente como ela que tanto amamos. A capa foi escolhida pela própria Rita, um auto retrato pintado em 1997, presente dela para o marido Roberto de Carvalho.

ritalee.png

Reveladora e sem medo de se expor, Rita explora no livro as histórias do mundo do saci, uma menina que põe cabelo pela boca, uma casa assombrada por três fantasmas atrapalhados, a história de um casal formado por uma setuagenária  que se vira nos procedimentos estéticos para parecer bem mais jovem e de um jovem ator, que se vira nos mesmo procedimentos para ficar velhinho e provar o seu amor por ela, e muito mais.

Na próxima terça-feira (15), a Rita Lee estará na Saraiva do Shopping Pátio Paulista para o lançamento de Dropz, livro que reúne 61 contos, além de ilustrações da rainha roqueira. O evento acontece a partir das 17h.

REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO NA SESSÃO DE AUTÓGRAFOS DO LIVRO “DROPZ”, DE RITA LEE

  • As senhas serão entregues no dia do evento, terça-feira, 15/08, a partir das 9h. Entre 9h e 10h a entrega será feita na entrada do Shopping Pátio Paulista. A partir das 10h será feita na loja Saraiva do mesmo shopping.
  • Serão distribuídas 300 senhas (pulseira) seguindo os seguintes critérios:
    • 1 (uma) senha por pessoa – independente da quantidade de livros comprados. A senha é pessoal e intransferível.
    • A senha dará direito à sessão de autógrafos que será realizada às 17h na Saraiva do Shopping Paulista. O atendimento será por ordem numérica, de acordo com a senha e deverá ser apresentado o livro para participação.
    • A autora autografará até 2 exemplares do livro por pessoa.
    • A autora só autografará o lançamento supracitado, ou seja, discos, camisetas, CDs, fotos, marcadores, cadernos ou quaisquer outros objetos não serão autografados.
    • Não serão permitidas fotos, gravação de áudio, vídeos ou qualquer captação de imagem e som na mesa dos autógrafos. Um fotógrafo da editora fará as fotos – uma por pessoa – e elas estarão disponíveis em até 5 dias úteis no link flickr.com/editoraglobolivros.

Olha só o que o Cuponomia, o site reúne os principais players de comércio eletrônico do país, preparou para você. com Lana Côrtes

Esmalte das famosas: veja as cores que estão fazendo sucesso entre as celebridades

Saiba como encontrar os esmaltes mais usados pelas atrizes, pagando baratinho nas lojas online

 Os esmaltes das celebridades costumam virar tendência e inspirar milhares de fãs Brasil a fora. E encontrar essas cores usadas pelas famosas pode ser mais fácil do que se imagina, tudo na web.

Para ajudar nessa busca, o Cuponomia, portal que reúne ofertas e cupons de desconto do e-commerce, fez um levantamento dos esmaltes mais baratos usados por atrizes como Paola Oliveira, Aline Moraes, Maria Fernanda Cândido e até da Duquesa de Cambridge, Kate Middleton. Confira quanto custa e onde encontrar!

Jackie – Impala

Exiba imagens para confirmar leitura

O esmalte usado pela Jeyza, personagem interpretado por Paola Oliveira, em “A força do querer”, é o Coffee Break, da Mac. Mas, para quem gostou da cor e quer encontrá-la com mais facilidade nas lojas nacionais, a dica é optar pelo esmalte Jackie, da Impala, que tem o mesmo tom à venda na Netfarma, utilizando cupom de desconto, o produto pode sair 5% mais barato, por R$3,44.

Inveja Boa – Risqué

A cor usada pela atriz Maria Fernanda Cândido, na novela “A força do querer”, tem despertado a curiosidade do público. O que quase ninguém sabia é que a Joyce, personagem interpretada pela atriz, não usa esmaltes e sim unhas autocolantes, da linha impress, na cor Bittersweet. Para conseguir o tom idêntico ao dela é só usar o esmalte Inveja Boa, da Risqué, vendido por R$2,84 na ikesaki, com cupom de desconto.

Allure – Essie

O esmalte Allure, da Essie ficou famoso nas unhas da Duquesa de Cambridge Kate Middleton, em seu casamento com o príncipe William. Um dos cosméticos favoritos da família real, é vendido pelo e-bay, por US $3,99, aproximadamente R$ 12,50. Outras cores da marca estão disponíveis na loja online da Sepha, por R$ 9,99.

Grão de Arroz – Risqué

O esmalte Grão de Arroz, da Risqué, chamou atenção nas unhas da atriz Aline Moraes, na novela Rock Story, e pode ser encontrado nas Americanas.com, por R$3,90.

Rosila – Quem disse, Berenice?

Sucesso nas unhas da Cleo Pires, o esmalte Rosila pode ser encontrado no site da Quem disse, Berenice?, por R$13,90.

Sobre o Cuponomia

Fundado em 2012, por Antônio Jorge Miranda e Vinicius Dornela, o Cuponomia introduziu o modelo de cupom no Brasil. Atualmente o site reúne os principais players de comércio eletrônico do país e conta com mais de 20 mil cupons em mais de 2 mil lojas parceiras. Em 2015, o Cuponomia expandiu operações para a América Latina, passando a atuar também no México, Chile e Colômbia. Em 2016 a empresa foi responsável por mais de R$ 500 milhões em venda para o varejo online.

Apresentações gratuitas de coral e música instrumental acontecem no Bixiga – com Lana Côrtes

Elas fazem parte do programa Domingo na Yayá, que leva música gratuita ao Centro de Preservação Cultural da USP

Los Raulinos

Em agosto, o Centro de Preservação Cultural da USP (Casa de Dona Yayá) recebe duas apresentações musicais de seu programa Domingo na Yayá. No dia 6, o grupo Todo Canto, do Coral da USP, apresenta um repertório coral mundial. No dia 20,  o trio Los Raulinos mostra o lado cigano do jazz, passando por outro gêneros musicais. Ambas apresentações acontecem em domingos, às 11h, e são gratuitas.

O grupo Todo Canto vai buscar peças do repertório coral mundial para apresentar um programa variado, com músicas da Europa e das Américas, que vão da renascença aos dias de hoje, sacras e profanas, populares e eruditas, além de folclóricas e contemporâneas brasileiras. O repertório inclui autores como Debussy, Piazzolla, Brahms e Tom Jobim. A regência é de Paula Christina Monteiro e a orientação vocal de Fernando Coutinho Ramos.

Formado por colegas do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da USP, o grupo Los Raulinos dialoga com a faceta do jazz, incorporando à sua música não apenas a estética do gênero, como também seu próprio caráter nômade, ao transitar por diferentes estilos, tais como o bebop e o choro. Seus integrantes são Thiago Brisolla (violino), Felipe Parisi (violoncelo) e Giovanni Chiavacci (violão).

Casa de Dona Yayá

Situado no bairro da Bela Vista, sede do CPC-USP, o edifício conhecido como Casa de Dona Yayá constitui um documento material da transformação da cidade de São Paulo em metrópole. Sendo um dos últimos remanescentes do antigo cinturão de chácaras que circundava a região central da cidade, assumiu importância histórica ainda maior ao ser convertido em local de clausura de sua proprietária mais ilustre, Sebastiana de Mello Freire, Dona Yayá, que, por ser considerada mentalmente incapaz, ali viveu reclusa entre 1919 e 1961. O imóvel foi transferido à Universidade de São Paulo em 1969, como herança vacante, e passou por um cuidadoso trabalho de recuperação e restauro. Com base nessa rica história material e imaterial, o imóvel foi tombado pelo Estado de São Paulo, em 1998, e pelo Município, em 2002.  O CPC-USP promove a valorização do imóvel através de sua abertura ao público, incentivando reflexões a respeito de sua arquitetura, da história do bairro e da personagem Dona Yayá.

Serviço

Domingo na Yayá

Onde |  R. Major Diogo, 353 – Bela Vista, São Paulo – SP

Quanto | Gratuito

Quando | 06/08 (Grupo Todo Canto) e 20/08 (Los Raulinos), domingo, às 11h

Mais informações | (11) 2648-1501/1502

5 passos para vencer a compulsão alimentar – por Lana Côrtes

compulsão alimentar1 

Crédito foto: Shutterstock

A compulsão alimentar é caracterizada pelo ato de comer de forma descontrolada, em um curto espaço de tempo, e em quantidade maior do que outra pessoa que não sofre de nenhum distúrbio comeria na mesma situação. Pessoas que sofrem desse transtorno costumam sentir culpa e vergonha após a “crise” compulsiva.

Pesquisas indicam que cerca de 2% da população sofre de compulsão alimentar, sendo mais frequente em mulheres entre 20 e 30 anos. Além disso, pesquisas mostram que 30% das pessoas que procuram tratamento para a obesidade ou para perda de peso possuem este transtorno.

A alimentação inadequada e em maiores quantidades do que o corpo necessita, além de levar ao sobrepeso, está ligada a doenças como: diabetes tipo 2, hipertensão, colesterol alto, problemas cardíacos, respiratórios ou de circulação. Além de outros transtornos ou doenças mentais, como a bulimia ou a depressão.

Nutricionista e coach em emagrecimento, Gladia Bernardi defende que é possível vencer a compulsão alimentar com o acompanhamento de profissionais de saúde e seguindo uma rotina de vida mais saudável.

Associada ao Health Coaching International Institute, escola pioneira em Coaching de Emagrecimento Consciente, a especialista explica que grande parte das pessoas que comem por compulsão estão dominadas pelo inconsciente, que as leva a comer sem controle. “É necessário reprogramar a mente dessa pessoa para que ela passe a fazer as escolhas alimentares através do sistema consciente, e assim ter hábitos mais saudáveis, deixando de agir por impulso na hora de comer”, explica.

Veja cinco passos indicados pela especialista para vencer a compulsão alimentar:

Busque entender a raiz do problema
Crédito: Shutterstock

Para algumas pessoas, a vontade de comer exageradamente aumenta quando estão tristes, nervosas ou passando por situações de estresse, associando a comida como compensação para a questão que as aflige.

Na visão de Gladia, contar com o acompanhamento de um coaching em emagrecimento, aliado a um atendimento psicológico, é fundamental para compreender o que faz a pessoa querer comer por impulso.

“O paciente busca compensar na comida algo prazeroso que ficou para trás na vida daquele indivíduo, e que o faz buscar a comida para o preenchimento desta lacuna”, explica ela. “Para sanar isso, é preciso estudar a fundo esses gatilhos emocionais, e então combatê-los”.

Não faça dieta por conta própria
Crédito: Shutterstock

Tentativas frustradas de controlar o peso são uma das causas que fazem a pessoa comer de forma ainda mais descontrolada. Isso porque, com a insatisfação por não conseguir controlar o próprio peso, muitos acabam desistindo de manter uma alimentação regrada, passando assim a comer em maiores quantidades e de forma menos saudável.

“É fundamental ter o acompanhamento de um profissional da saúde, pois ele saberá exatamente o que a pessoa precisa comer e aquilo que deve evitar. Buscar um profissional é sempre o mais indicado para qualquer paciente, mas, para os que sofrem de compulsão, fazer dieta sozinho é um erro ainda mais grave, que coloca a saúde em risco”, alerta.

Faça escolhas mais saudáveis
Crédito: Shutterstock

Para a especialista, além das principais refeições do dia – café da manhã, almoço e jantar- é preciso prestar atenção no que se come entre as refeições. “Para quem sofre de compulsão, alimentos como salgadinhos, balas e outras guloseimas tornam-se ainda mais tentadores, e não é difícil que ‘devorem’ sacos inteiros de salgados industrializados ou doces em minutos, o que faz um verdadeiro estrago na alimentação”.

Por isso, é importante investir nos petiscos saudáveis, tendo sempre opções pouco calóricas para quando bater aquela fome ou compulsão. “Cenouras baby, ovos de codorna, frutas cortadas em pedaços, como maçã ou pêra, são boas opções para o lanche”, indica a nutricionista.

“É fundamental optar por petiscos de boa qualidade, durante o dia e também à noite, quando o metabolismo funciona de forma mais lenta”, explica.

Gerencie melhor suas emoções
Crédito: Shutterstock

Para a especialista, sempre que houver a vontade de comer compulsivamente, deve-se analisar quais serão as consequências negativas ou positivas que se terá em médio prazo. “Se a pessoa pensar que se sentirá ainda pior caso se ‘renda’ à compulsão, certamente irá pensar duas vezes antes de agir de forma descontrolada à mesa”, diz.

Um estudo da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) mostra que obesos têm 55% maiores chances de desenvolver depressão. “É preciso colocar isso na balança e buscar compreender se, um pouco mais tarde, a pessoa ficará mais feliz por ter evitado comer algo, ou se ela se sentirá culpada por ter ingerido o alimento”, explica.

Procure outras formas de compensação
Crédito: Shutterstock

Além auxiliar na perda de peso devido à aceleração do metabolismo, a prática de exercícios libera endorfina, enzima que proporciona bem-estar e diminui a ansiedade e o estresse.

Pesquisa do Ministério do Esporte aponta que 38,1% dos homens e 44,6% das mulheres afirmam que praticar atividades físicas melhora a sensação de bem-estar e a qualidade de vida.

“É preciso encontrar outra atividade para recompensar o cérebro como fonte de prazer, que não seja a comida, e praticar sempre essa atividade, para que a prática se torne um hábito”, destaca Gladia.

Sobre Gladia Bernardi: Nutricionista, coach e desenvolvedora do método “Emagrecimento Consciente”, baseado na neurociência, na programação neurolinguística e em coaching. Por meio de técnicas e ferramentas pioneiras, que dispensam dietas restritivas, prescrição de medicamentos ou intervenções cirúrgicas para o emagrecimento, visa transformar profissionais da área da saúde, coaches e consultores independentes em especialistas em emagrecimento junto a pacientes. Atualmente, já formou mais de mil profissionais e é responsável pelo evento “Por um mundo mais leve”, que defende